MUSEU DA AMAZÔNIA

Dentro de uma reserva de floresta primária, a Reserva Ducke, que se estende por 100km2 na periferia de Manaus, uma história de dez mil anos. Foi erguida uma torre, como se ergue um templo, para admirar e celebrar a floresta.  Vale a pena subir os 242 degraus, em 42m, que nos levam ao dossel das árvores. No lusco-fusco da manhã, por volta das seis horas, vemos encantados as copas das árvores brotando da neblina, despertando da noite. Os pássaros acordam, e com eles os passarinheiros (bird watchers), que para ouvir o canto ou clicar uma ave sobem com seus binóculos e suas poderosas teleobjetivas. Aos poucos a névoa se esvai, os verdes dominam. O sol, discreto no horizonte, observa e ilumina. Pode-se admirar a vegetação, flores e folhas que, silenciosas, refletem luzes e sombras. Centenas de tons de verde vibrantes e diferentes. Contagiante.